Biologia

Sistema Nervoso Central e Periférico – Características

Procure reconhecer na fotografia acima emoções, sentimentos, sensações e movimentos.

No corpo humano, um sistema coleta informações do próprio organismo e também do ambiente externo, avalia dados e coordena ações necessárias a cada situação. Quais são os componentes desse sistema? Como estão organizados?

Esses assuntos serão desenvolvidos neste capítulo.

Á INTERAÇÃO COM O AMBIENTE

O sistema nervoso é responsável pela integração do corpo com o ambiente. É ele que recebe e organiza informações, controla e participa da coordenação das funções corporais e permite que o organismo responda e atue sobre o meio.

Quando aprendemos a andar de bicicleta, por exemplo, o sistema nervoso usa as memórias das tentativas passadas e modifica o comportamento até conseguirmos nos equilibrar na bicicleta e pedalar. Essas modificações de comportamento, resultantes das experiências passadas, são parte do aprendizado.

Para compreender como o sistema nervoso atua, precisamos conhecer seus componentes, como se comunicam e como estão organizados.

NEURÔNIOS: TRANSMISSÃO DE MENSAGENS

As células do sistema nervoso responsáveis por perceber estímulos do próprio corpo e do ambiente, interpretar as informações e possibilitar a tomada de ações em resposta a cada situação vivenciada são os neurônios.

Os neurônios são células especializadas em receber e transmitir mensagens. Todos os tipos de neurônio apresentam a mesma estrutura básica: corpo celular, dendrito e axônio, No corpo celular, estão o núcleo, o citoplasma e as organelas. Os dendritos são filamentos muito ramificados menores do que o axônio, que é o filamento maior e que só se ramifica na extremidade final.

Os neurônios se comunicam

Para que a recepção e a transmissão de mensagens seja eficiente, é essencial que os neurônios se comuniquem. Da comunicação entre os neurônios e deles com músculos e glândulas dependem ações, pensamentos, sonhos, sentimentos, aprendizagem, sensação de dor, de fome etc.

A comunicação entre os neurônios envolve fenômenos de natureza elétrica e química.

Fenômenos de natureza elétrica

■    Os neurônios transmitem a informação por meio de sinais elétricos chamados impulsos nervosos, que percorrem a membrana da célula nervosa no sentido do dendrito ao final do axônio.

■    O axônio da maioria dos neurônios é revestido por mielina, um isolante elétrico formado por gordura e proteína que acelera o impulso nervoso.

Fenômenos de natureza química

■    Entre o axônio de uma célula nervosa e a célula seguinte, há uma região chamada sinapse, na qual as células não se tocam. A transmissão da informação na sinapse é feita por substâncias químicas chamadas neurotransmissores.

■    Se a célula seguinte for outro neurônio, o estímulo do neurotransmissor pode provocar alterações elétricas na membrana plasmática, gerando um novo impulso nervoso. Se a célula seguinte for muscular, ela pode se contrair. Se for uma glândula, ela pode liberar hormônios ou outras secreções.

ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO

O sistema nervoso está organizado em duas partes: o sistema nervoso central composto pelo encéfalo e pela medula espinal, e o sistema nervoso periférico, formado pelos nervos.

Os estímulos do próprio corpo e do ambiente são percebidos e, então, enviados, por meio dos nervos, ao sistema nervoso central, onde as comunicações entre os neurônios organizam as informações. Essas informações geram uma resposta, que é enviada, por meio dos nervos, aos músculos e glândulas onde é realizada uma ação (um movimento, a liberação de um hormônio etc.).

Sistema nervoso central

0 sistema nervoso central é formado pelo encéfalo e pela medula espinal, órgãos que controlam as funções do organismo.

Encéfalo

0 cérebro é a maior parte do encéfalo e apresenta dois hemisférios, o direito e o esquerdo. Ê responsável pelas seguintes funções: processamento dos sentidos (tato, paladar, visão, olfato e audição), linguagem falada e escrita, movimentos voluntários {controle consciente dos músculos), raciocínio, criatividade, aprendizagem e memória. Essa capacidade de processamento e armazenamento de informações é dada pelas conexões sinápticas que ocorrem entre os neurônios. Cada neurônio pode fazer de mil a 100 mil conexões!

O hemisfério direito do cérebro comanda o lado esquerdo do corpo, enquanto o hemisfério esquerdo do cérebro comanda o lado direito. Isso ocorre pois os nervos se cruzam no final do tronco encefálico, passando “invertidos” para a medula.

O cerebelo é o responsável pela noção de tempo, possibilita a aprendizagem motora, mantêm o equilíbrio e a postura, além de coordenar os movimentos, dando um ajuste fino às ordens motoras vindas do cérebro.

0 tronco encefálico faz a comunicação entre a medula espinal e o cérebro. Ele é o responsável pelas funções inconscientes do corpo, como o controle da respiração, o ajuste do ritmo cardíaco em situações de atividade física ou repouso, a regulação da pressão arterial e a regulação do sono.

Medula espinal

A medula espinal é um cordão de tecido nervoso protegido pela coluna vertebral. É responsável por transmitir os impulsos nervosos entre o encéfalo e o restante do corpo.

Sistema nervoso periférico

O sistema nervoso periférico está dividido em sistema nervoso voluntário e sistema nervoso autônomo.

O sistema nervoso voluntário transmite informações que determinam as ações voluntárias, isto é, aquelas que dependem da vontade, como andar de bicicleta ou tocar um instrumento musical. É formado pelos nervos que levam as informações do encéfalo para os músculos esqueléticos e dos órgãos dos sentidos para o encéfalo.

0 sistema nervoso autônomo comanda as funções involuntárias do organismo, como o batimento cardíaco, o ritmo respiratório, a digestão e a excreção.

É formado por dois grupos de nervos: os que partem do encéfalo. chamados nervos cranianos (12 pares), e os que partem da medula espinal (31 pares), chamados nervos espinais.

O sistema nervoso autônomo é constituído por:

■    sistema nervoso simpático, responsável por reações a situações estressantes, isto é, ele prepara o corpo para lutar ou fugir em situações de risco. Exemplo: acelerar os batimentos cardíacos, inibir a salivação (a boca fica seca) e acelerar a respiração;

■    sistema nervoso parassimpático, responsável por funções que fazem o corpo voltar ao normal após a situação de estresse enfrentada. Exemplo: reduzir os batimentos cardíacos, estimular a salivação, desacelerar a respiração.

MEMÓRIA

Memória é a capacidade de adquirir, armazenar e recuperar informações disponíveis. É por ela que acumulamos experiências que serâo usadas durante a vida; por isso, a memória deve ser estimulada e exercitada.

Ato reflexo

Existem situações em que o corpo reage automaticamente a um estimulo sem que haja consciência do que causou esse estímulo – são os atos reflexos. Se você já levou um choque, queimou a mão ou espetou o dedo em uma agulha, sabe do que se trata. Em uma situação como essa, a reação do corpo é imediata, mas a sensação de choque, calor ou dor é posterior.

0 caminho dos impulsos nervosos em uma situação de ato reflexo seria: o neurônio sensitivo leva a informação até a medula, e o impulso nervoso de resposta da medula é enviado ao músculo pelo neurônio sensitivo. Esse encadeamento é chamado arco reflexo. A reação é, portanto, produzida na medula espinal, sem a participação do encéfalo. Só quando o impulso nervoso que partiu da medula espinal chegar ao cérebro é que se consegue perceber o que aconteceu e como o corpo reagiu.

AÇÃO DAS DROGAS HO SISTEMA NERVOSO

Drogas são substâncias químicas que modificam o funcionamento do organismo, As mais perigosas são aquelas que interferem nas sinap-ses. Podem ter ação estimulante ou depressora do sistema nervoso, dependendo da sua ação sobre os neurotransmissores.

A droga com efeito estimulante pode causar euforia, perturbações auditivas e visuais, aumento da frequência cardíaca, perda de apetite e diminuição do sono, mantendo o estado de “alerta”. Já o efeito depressor deixa a pessoa devagar, distraída, sonolenta, confusa, com fala arrastada e sensação de tontura.

Algumas drogas que agem estimulando o sistema nervoso central são a nicotina (existente no cigarro), a cocaína (inclusive seus subprodutos, como a merla e o crack) e o ecstasy. Já o álcool, os calmantes, os solventes (como os existentes na cola de sapateiro) e a maconha agem como depressores.

Todas as drogas citadas alteram o comportamento e causam prejuízos à saúde. A cocaína e seus derivados, por exemplo, provocam lesões no cérebro, como hemorragias e morte das células por falta de oxigênio e; no coração, provocam necrose do miocárdio e causam morte súbita. Se consumidos durante a gravidez, aumentam o risco de desenvolvimento anormal do bebê, que pode nascer com baixo peso e com lesões cerebrais irreversíveis.

O uso de drogas provoca grande prejuízo à saúde, à produtividade e ao convívio familiar e social. Em caso de abuso no uso de drogas, as pessoas podem procurar organizações que auxiliam tanto o dependente de droga quanto seus familiares. Algumas organizações que se dedicam a esse tema são Alcoólicos Anônimos (AA), Narcóticos Anônimos (NA) e Amor Exigente (AE).

ALGUMAS DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é causada peia degeneração e morte de neurônios. Os sintomas são falhas na coordenação motora, tremores, rigidez muscular, dificuldade para caminhar, equilibrar-se e engolir, os quais se agravam com o tempo. A pessoa afetada pode perder os movimentos dos membros.

Demência

A demência caracteriza-se por um conjunto de sintomas resultante do mau funcionamento do sistema nervoso central. Entre os sintomas, estão a dificuldade de aprendizagem e falta de memória, perturbação da linguagem, dificuldades motoras, dificuldade em reconhecer objetos e dificuldade em planejar e organizar ações. Há vários tipos de demência, como a demência da doença de Alzheimer.

A doença de Alzheimer é o tipo mais comum de demência. Consiste na formação de placas de proteína no cérebro e morte de neurônios. O aparecimento dos sintomas é lento e pode ocorrer antes dos 65 anos. Não se sabe ainda como prevenir essa doença, que atinge 35,6 milhões de pessoas no mundo.

Não existe cura para a doença de Parkinson nem para a doença de Alzheimer, mas existem tratamentos específicos para cada uma delas. É importante fazer um diagnóstico precoce para que se inicie o tratamento e o doente tenha melhor qualidade de vida.

Paralisia causada por lesão na medula espinal

Da medula espinal partem os nervos do sistema nervoso periférico, levando os sinais que comandam os órgãos do corpo. Qualquer lesão que ocorra na medula espinal irá comprometer a condução nervosa para as regiões situadas abaixo da lesão, causando paralisia, já que o fluxo de informação é interrompido. Dependendo da gravidade do ferimento, a recuperação é possível.

Paralisia e acessibilidade

As lesões na medula espinal podem decorrer de doença ou trauma. As mais conhecidas são a paraplegia e a tetraplegia. A paralisia dos membros inferiores é chamada paraplegia e resulta de lesão na medula em alguma parte das regiões torácica, lombar e sacral. A paralisia do tronco e dos membros superiores e inferiores, chamada tetraplegia, resulta de lesão da medula na região cervical.

A pessoa que sofreu lesão medular tem de desenvolver novas habilidades físicas e funcionais que permitam a sua locomoção, a autonomia na realização das atividades do dia a dia e a interação com o ambiente e a sociedade.

Por outro lado, o ambiente deve estar preparado para proporcionar a acessibilidade das pessoas com limitações de mobilidade, isto é, os obstáculos (guias e degraus) devem ser eliminados. Para isso, existem normas que regulam a construção de calçadas e rampas de acesso aos prédios e meios de transporte, viabilizando o uso de cadeiras de rodas.

Você já reparou como são as calçadas da sua rua? Do supermercado e da farmácia que você frequenta? E da sua escola? Verifique se a sua escola tem acessibilidade para as pessoas que necessitam usar cadeiras de rodas ou muletas.

Fontes:

http://planetabiologia.com/sistema-nervoso-resumo/

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo